GFNY

Sobre o GFNY

O GFNY é um desafio de resistência pessoal, onde você compete contra outros atletas, o relógio e si mesmo. Aberto para amadores e profissionais, o evento simula um verdadeiro Grand Fondo Italiano: largada em massa, controle de tempo por chip, sinalização ao longo do percurso, resultados baseados nos tempos gerais, medalha aos participantes, troféus e camisas para os campeões gerais masculino e feminino, além do pódio por faixa etária.

É, hoje, a competição que reúne o maior número de ciclistas de nacionalidades diferentes. Em 2016, a prova de Nova Iorque contou com atletas de 93 países. Depois dos Estados Unidos, o Brasil foi o país com o maior número de inscritos, 702, o que representa 14,5% dos participantes. A média de idade dos competidores é de 41 anos e, proporcionalmente, é a prova que mais reúne o público feminino (19%).

Fundada em 2010 a marca GFNY está presente em diversas cidades ao redor do mundo, chegando ao Rio de Janeiro em 2017.

Lidia Fluhme
Co-fundadora e presidente da GFNY, Lidia Fluhme é a criadora da linha de largada mais espetacular do ciclismo, na ponte George Washington. A atleta de 7 Ironman Hawaii, aluna da NYU business school e ex-bancária de Wall Street.

Uli Fluhme
Co-fundador e CEO do GFNY, Uli Fluhme é um ex advogado de Wall Street, mas são seus 20 anos de corridas granfondo que levaram ao GFNY. Ele continua correndo os mais difíceis granfondos ao redor do mundo, incluindo todos os eventos do GFNY. Milita pela causa do antidoping desde 2000.

GFNY Brasil

A primeira edição do GFNY Brasil acontecerá em 6 de agosto de 2017, em dois desafiadores percursos de 80km e 160km pela Serra da Beleza, no charmoso distrito de Conservatória, no Rio de Janeiro.

Localizada na região do Vale do Café, Conservatória, que já foi um importante elo na produção e circulação do produto, é hoje conhecida pela beleza das suas serras e por ser um dos melhores destinos para se pedalar no Brasil. A região é sede das principais provas de ciclismo do país e da América Latina, como a Copa Rio de Janeiro, o Desafio do Tour e o Tour do Rio, reunindo um número crescente de atletas a cada edição.

Maria Luisa Jucá

Empresária e sócia do GFNY Brasil. Formada em Sociologia pela UnB, Saúde Pública com especialização em RH Internacional pela Fiocruz e MBA em Marketing pela COPPEAD/UFRJ. Com doze anos de experiência como servidora pública federal, começou a trabalhar com produção cultural e consolidou uma carreira de sucesso. Através de sua empresa, a Conexão, com 25 anos de mercado, Luisa recebeu diversos prêmios na área cultural e esportiva, com Projetos como Bike Music, Concertos MPB e Maricotinha. A aproximação com o esporte nasceu através da interface com a cultura, em eventos que combinavam a prática de modalidades esportivas e shows musicais. E nesse setor o trabalho realizado pela Conexão vem fazendo a diferença.

Em 2009, fundou o Instituto Faça Esporte e Cultura, uma associação sem fins lucrativos e econômicos, de caráter esportivo, cultural, social e ambiental que tem como objetivo promover ideias e mudanças em seu setor. O Instituto Faça promove o Tour do Rio, prova internacional de ciclismo de alta performance, reconhecido pela União Ciclística Internacional como uma das competições mais organizadas e reconhecidas da América Latina. Realiza ainda nove provas durante o ano, entre elas a Copa Rio de Janeiro e o Desafio Tour do Rio, que pontuam para o ranking oficial da Confederação Brasileira de Ciclismo. Além disso, o Instituto motiva a prática nas crianças, com atividades pedagógicas, Copinhas e escolinhas como o Adeus Rodinhas, que despertam o interesse pelo esporte desde a infância, educando e ensinando as leis de trânsito.

Rita Almeida

Graduada em Educação Física pela Universidade Gama Filho e com pós-graduação em Natação, Hidroginástica e Exercícios Aquáticos pela mesma Universidade, Rita Almeida sempre foi amante do esporte. Ela acumula experiências como personal trainner e professora de hidroginástica, natação e spinning em diversas academias do Rio de Janeiro. Em 2007, assumiu o cargo de diretora esportiva da Conexão e, desde 2015, é a presidente e diretora esportiva do Instituto Faça Esporte e Cultura, responsável, junto com Luisa Jucá, pela realização de projetos como a Copa Rio de Janeiro, Copa Light, Desafio do Tour, Tour do Rio e Adeus Rodinhas.

Fernanda Porto Venturini

Ex-jogadora de volleyball, considerada a melhor levantadora que o país já teve, tendo sido diversas vezes eleita a melhor do mundo, indicada a melhor jogadora do século. Além de dezenas de títulos por equipe, foi, junto à seleção brasileira, responsável pela conquista da 1ª medalha olímpica do país na modalidade nos jogos de Atlanta, em 1996.

Após deixar as quadras e tornar-se empresária, sócia do GFNY Brasil, descobriu no ciclismo sua nova paixão esportiva. Acompanhada do marido, o maior e melhor técnico brasileiro, mundial e bicampeão olímpico de vôlei Bernardo Rezende, participa de provas nacionais e internacionais de ciclismo, como o GFNY.

Com as sócias Luisa Jucá, Rita Almeida e Ana Paula Cavalcanti, trabalha para a difusão e desenvolvimento do ciclismo no Brasil.

Ana Paula Cavalcanti

Advogada, empresária e sócia do GFNY Brasil, sempre praticou esportes, mas foi na bicicleta - começou a praticar em 2012 - que descobriu sua grande paixão. Desde então, treina diariamente para participar de provas no Brasil e no exterior, tendo sido o GFNY sua 1ª internacional. A partir dessa experiência, Ana Paula tomou por missão trazer o GFNY para o Brasil com as suas sócias e parceiras. E conseguiu.

Desde janeiro de 2016, trabalha no desenvolvimento do esporte no Brasil promovendo as principais provas da modalidade como diretora do Instituto Faça Esporte e Cultura.